terça-feira, 28 de outubro de 2008

Poente com chama



by Vida de vidro

Inflama-me, poente: faz-me perfume e chama;
que o meu coração seja igual a ti, poente!
descobre em mim o eterno, o que arde, o que ama,
...e o vento do esquecimento arraste o que é doente!

Juan Ramón Jiménez

2 comentários:

melgadoporto disse...

“...e o vento do esquecimento arraste o que é doente!”
Respirei fundo…
:-)

heretico disse...

beijo. muito bonito...

grato